Uncategorized

8 momentos em que a comunidade gamer nos encheu de orgulho

8 momentos em que a comunidade gamer nos encheu de orgulho

Aviso: Esse texto contém ninjas cortadores de cebolas. Pra todas as pessoas que chamam games de “joguinhos” ou que dizem que é coisa de criança, resolvemos fazer uma lista que é um verdadeiro choque de realidade. Todos nós sabemos o poder da comunidade gamer, então resolvemos listar 6 momentos em que a comunidade encheu a gente de orgulho e encheu nossos olhos de lágrimas. Prepare os lenços e chega mais!

A comunidade gamer restaurando sua fé na humanidade

Jovem encontra fantasma do pai em save de um game

O primeiro item da lista não inclui toda a comunidade gamer no geral, mas mostra como o videogame pode emocionar individualmente um usuário e matar um pouco algumas saudades que temos. Esse comentário foi encontrado em um vídeo no Youtube sobre o debate se videogames podem proporcionar “experiências espirituais”. O comentário foi do usuário “00WARTHERAPY00” e a tradução segue abaixo:

“Bem, quando eu tinha quatro anos, meu pai comprou um Xbox. Você sabe, aquele primeiro ‘quadradão’ de 2001. Tivemos horas, horas e horas de diversão jogando todos os tipos de games juntos — até que ele morreu, quando eu tinha 6 anos.”

“Eu não consegui tocar naquele console por 10 anos. Mas uma vez o fiz e notei uma coisa. Nós costumávamos jogar um título de corrida, o RalliSport Challenge, que era muito impressionante na época que foi lançado”, comentou o adolescente.

“Voltei a mexer no jogo até que encontrei um fantasma. Literalmente. Você sabe, quando uma corrida de tempo ocorre, a volta mais rápida já feita permanece gravada como um piloto fantasma?”.

“Sim, você adivinhou: o fantasma em questão era do meu pai e ele ainda percorre a pista até hoje. E então eu joguei, joguei e joguei até quase conseguir bater a melhor marca. Finalmente, eu passei na frente do fantasma, estava ganhando e… Eu parei bem na linha de chegada, apenas para assegurar que não iria excluí-lo”.

Esse comentário viralizou rapidamente e serviu como um exemplo de como os videogames podem guardar surpresas muito boas para os jogadores. Abaixo você confere um curta que fizeram baseado nessa história.

Leia também:

Após jovem morrer salvando a irmã, comunidade de Magic arrecada dinheiro para família

Essa notícia americana é recente, ocorrida em Noblesville, Indiana. Um mês após morrer salvando a irmã em um acidente de carro, a comunidade de jogadores de Magic: The Gathering se juntou para arrecadar dinheiro para a família. No acidente, Riley Oberhart e seu pai, Dan, morreram quando um suspeito de assalto colidiu com o carro da família Oberhart enquanto fugia da polícia. A mãe de Riley e sua irmã de 14 anos saíram feridas do acidente. A família informou que Riley utilizou o próprio corpo como escudo para proteger sua irmã quando o carro começou a se destruir, salvando a vida dela. Quando a comunidade de jogadores de Magic soube da notícia e soube que Riley era um jogador também, eles fizeram um campeonato chamado “Riley Oberhart Memorial Tournament”, e mais de 250 jogadores compareceram ao evento, prestando sua homenagem a Riley e à sua família.

comunidade gamer

 

Um jogo em que você pode salvar animais… De verdade!

Apresentamos agora The Purring Quest. Já pensou em jogar um game em que você tem que controlar um gato? Pois essa é a proposta. Em The Purring Quest, você tem que encontrar e libertar famosos gatos da internet, em uma jornada cheia de humor. Mas, o que faz esse jogo entrar nessa lista é que, uma parte de todas as vendas desse jogo é direcionada à organizações que cuidam e resgatam animais abandonados. A desenvolvedora do game, Valhalla Cats é composta por gamers unidos por duas paixões: Os games e os animais.

 

Desenvolvedores criam game baseado na luta contra o câncer

Ryan Green e sua esposa, Amy Green decidiram criar o jogo após passar pela experiência de Joel, o terceiro filho do casal, que foi diagnosticado com um câncer incomum, quando ele tinha apenas 12 meses de idade. O jogo se baseia no conceito de “Uma jornada de esperança nas sombras da morte”. Após o início do desenvolvimento, muitos gamers aceitaram a ideia de contribuir no Kickstarter para a finalização do jogo, que rendeu muitos prêmios após o lançamento, principalmente o de Melhor Jogo Independente de Drama em 2016. Um documentário também foi iniciado paralelamente ao desenvolvimento do game. Graças à comunidade gamer, a família Green conseguiu guardar os principais momentos de Joel e puderam dividir esses momentos com o público que contribuiu.

 

Jogador deficiente recebe doações após ser kickado por colegas tóxicos

Nesse caso, podemos ver o pior e o melhor da comunidade gamer. Felizmente aqui, a grande parcela da comunidade acabou influenciando de maneira positiva. Adam Loop Bahriz é jogador de CS:GO e possui problemas de visão, audição e problemas em sua formação dental. Durante uma live do jogador, ele entrou em uma partida e fez o que sempre faz no começo de cada partida, ele explica sua condição genética e informa que a voz dele não é como o padrão a que estamos acostumados, juntamente com seu problema de visão.

No geral, a maioria dos colegas de time entendem sua situação e o respeitam, segundo o próprio jogador. Mas no caso citado, a reação foi diferente do normal. Ao invés dos colegas respeitarem suas condições, eles começaram a debochar de Adam, achando que ele estava simplesmente trollando a partida. No começo da partida, ele foi mutado por seu time, mas Adam continuou jogando normalmente, dizendo que não falaria mais nada.

Os seus “colegas” de time não gostaram disso, então acabaram por kickar Adam da partida. Adam ficou muito chateado, ainda mais pelo fato de seu time estar ganhando de 5 a 1, fazendo com que a ofensa fosse gratuita, já que ele não estava prejudicando o time de forma alguma. Após esse ocorrido, o surpreendente aconteceu. Adam começou a ganhar muitas doações de vários espectadores durante sua live, além de receber diversas mensagens positivas, em que a comunidade se provou estar apoiando Adam em massa.

O impressionante desse caso é que, após as doações, Adam conseguiu arrecadar dinheiro para fazer uma cirurgia de visão que ele precisava, mas não tinha como pagar e seu plano de saúde não cobria. Segue abaixo o relato do próprio Adam quanto ao ocorrido:

“Não deveria ser tão difícil assim para as pessoas distinguirem um troll de uma pessoa com uma deficiência física de verdade. Se os jogadores tivessem olhado o meu perfil ao invés de terem me kickado, eles teriam percebido isso facilmente, então, tente ser mais respeitoso e considerativo com as pessoas que jogam com você. Eu entendo que há trolls no jogo e coisas ruins acontecem durante as partidas de CS:GO, mas existe uma linha que não deveria ser cruzada, e que as pessoas devem aprender onde essa linha fica”.

 

Jogador de CS:GO arrecada R$ 7 mil para ajudar pai paraplégico

Esse caso ocorreu no Brasil, com o jogador Julio César “Revoltiz” Santos. Julio criou, em uma de suas lives, uma iniciativa para arrecadar doações de seus seguidores para ajudar seu pai, que ficou paraplégico por conta de um acidente. A proposta inicial era conseguir apenas R$500,00 em sua “Live da Esperança”, mas, graças à comunidade, Julio conseguiu arrecadar R$7.000,00. Com isso, ele pôde comprar remédios e outros itens indispensáveis para seu pai. Após isso, ele fez um vídeo agradecendo aos fãs e explicando a situação a todos os jogadores que pensavam que ele poderia estar aplicando um golpe ou agindo de má fé.

Speed Runners se unem para evento de caridade anualmente

Trazendo agora uma ideia coletiva da comunidade gamer, apresentamos o Games Done Quick, um dos maiores eventos de caridade da comunidade gamer mundial. Nesse evento, diversos speedrunners (gamers que quebram recordes em terminar jogos de diversas categorias em tempo recorde) se juntam e fazem uma maratona de live streaming, arrecadando dinheiro de doações dos seguidores para instituições como a Médicos Sem Fronteiras e a Fundação de Prevenção do Câncer.

Após dezesseis edições do evento, mais de 10 milhões de dólares foram arrecadados, além de muitos brindes que foram sorteados para os espectadores do evento. Aqui temos um dos maiores exemplos de como a comunidade gamer pode influenciar de forma positiva a vida de outras pessoas mais necessitadas. Os vídeos com as maratonas já transmitidas podem ser vistos no canal do youtube do evento.

 

Grupos de Dungeons & Dragons são criados para auxiliar crianças com dificuldades

Em muitos pontos dos Estados Unidos, mesas de Dungeon & Dragons estão modificando suas aventuras para substituir um pouco da violência por decisões no nível de convivência. Muitas crianças com dificuldades em integrar um grupo social estão recebendo ajuda para superar essa dificuldade. Um dos grupos responsáveis pelo trabalho, a Wheelhouse Workshop, acha que uma boa parte das crianças que passam por isso não estão sendo abordadas da maneira mais adequada, e é nesse ponto em que as mesas de RPG entram em ação. Em um dos exemplo citados por Adam Davis, co-fundador do grupo Wheelhouse, ele cita o caso de Frank, um adolescente que raramente levantava a voz acima de sussurros. Quando os seus pais viram que a linguagem corporal de Frank não era convencional, eles o incentivaram a juntar-se ao grupo.

O personagem que ele escolheu era um Anão Bárbaro. O personagem era muito gritalhão, resmungão e mal educado. Isso obviamente era a oportunidade para Frank poder brincar com características diferente das dele.“. Segundo Adam, caso o jovem não se adeque aos métodos do jogo e não consiga se integrar a grupos sociais, ele pelo menos pôde se divertir caçando uns Goblins durante um tempo.
Nem todos os casos citados são especificamente da comunidade de videogames, mas, jogos de cartas e RPGs são a base de vários games que temos no mercado, então vale a pena serem citados. E se alguém for tóxico com você durante sua jogatina, não responda na mesma moeda, não vale a pena.

comunidade gamer


Lembrou de algum que a gente esqueceu? Deixe nos comentários!


 

Deixe seu comentário

Recomendados para você