Jogos

Como funcionam os grey markets de games

Se você gosta bastante de pesquisar preços de jogos antes de comprar, provavelmente já viu alguns sites com preços bons demais para ser verdade. Kinguin e G2A são dois dos grandes exemplos de sites com revenda de chaves, e não é incomum achar jogos lá, inclusive lançamentos, pela metade do preço. Mas a que custo? Entenda aqui como funcionam os grey markets de games.

Mas afinal, o que são Grey Markets?

Antes de mais nada, vamos explicar sobre o nome. Grey Market (ou mercado paralelo) é uma maneira de vender o jogo que não chega a ser ilegal, mas não foi planejada pelo produtor. Ele se diferencia do mercado negro, que não tem e nem poderia ter permissão para vender algo. Geralmente os grey markets são abastecidos por pequenas empresas ou até mesmo por pessoas físicas, que revendem jogos que adquiriam de N maneiras por preços que, muitas vezes, são bem mais baratos que no mercado tradicional.

O assunto ganhou força no começo do ano passado, quando um escândalo envolvendo chaves da Ubisoft vendidas através da Origin vieram à tona, causando raiva de milhares e milhares de jogadores. Na época, usuários que compraram games nos dois sites que citamos anteriormente tiveram seus games deletados de suas contas pela própria Ubisoft, alegando que antes dessas chaves chegarem aos sites, foram compradas com cartões de crédito roubados.

Quem pagou por isso tudo? As pessoas que compraram os jogos de forma legítima. Como essa compra inicial não havia sido feita legalmente, a chave se tornou também um produto ilegal. Aos olhos desses consumidores, que não ficaram nem um pouco felizes, a compra deles tinha sido válida, então eles mereciam os jogos pelos quais pagaram. Por fim, a Ubisoft acabou voltando atrás no dia 2 de fevereiro, reativando as chaves de alguns, mas não todos, os compradores.

Em 2015 a Polygon entrevistou uma dessas pessoas que fazem revendas através desses sites e descobriu que ele lucrava entre 1000 e 1500 euros por mês dessa maneira.

Claro que algumas pessoas recebem jogos como presentes e podem vender por preços bem baixos. Também existe a possibilidade de estocar jogos em vendas de bundles, através do Humble Bundle ou até mesmo da Steam. Tanto a G2A quanto a Kinguin fazem propaganda reafirmando que esse tipo de revenda pode acontecer, então não é como se eles estivessem enganando ninguém. Infelizmente, eles não respondem pelos seus anunciantes.

grey markets de games
(Créditos da imagem: Ubisoft)

É impossível saber de onde as suas chaves estão vindo caso você compre através desses sites. Nem mesmo as grandes publishers conseguem descobrir direito como sua segurança é fraudada, então não é incomum que eles desativem chaves de lá. O último caso que temos registro foi de chaves do jogo Far Cry 4 sendo desativadas, então esse é sempre um risco grande.

Os grey markets são uma forma de contrabando de jogos. Como o preço dos games pode variar de um país para o outro, o que a maioria faz é comprar em A e revender em B por um preço com o qual o mercado local não pode competir. Isso também acontece com mídias físicas de jogos. O que as lojas fazem normalmente é comprar jogos no exterior, onde os impostos não são tão altos quanto no Brasil. Tudo estaria bem se eles declarassem a entrada desses produtos no País, mas advinha só? Eles não fazem isso.

O grande problema da G2A

Se você fizer uma rápida pesquisa, vai perceber em fóruns que existem sim gamers que defendem a empresa, mas a maioria das publishers detesta o que eles fazem. Isso se dá pelo fato de que eles compram e vendem um produtos onde só ele se beneficiam, já que nem as empresas e nem ninguém da cadeia de compras ganha com isso. Eles tem vendas próprias, que são mais confiáveis, embora sejam um pouco mais caras. Confiar na comunidade de vendedores que eles possuem é como confiar em um vendedor no Mercado Livre. Pode não dar nada, mas pode dar problema. Há também o fato de que a maioria das chaves próprias que eles vendem são adquiridas de mídias físicas, o que está acabando rapidamente com o estoque próprio da loja.

A Kinguin possui um controle maior, visto que para se cadastrar como vendedor por lá você precisa preencher um grande formulário e validar várias informações, mas no caso da G2A é possível virar anunciante bem rapidamente, respondendo perguntas bem curtas.

Matando os pequenos

É possível que grandes empresas de jogos como a Ubisoft, por exemplo, se recuperem desse golpe desleal, mas a revenda de chaves para jogos indie vem causando grandes problemas para esses desenvolvedores menores. E isso não se restringe apenas a desenvolvedores, já que até lojas vem tomando um grande prejuízo. O site indiegamestand fez um post esse ano explicando como tomaram um prejuízo de mais de 30 mil dólares. Lá eles explicam que o problema com sites de grey market é que embora eles possam não fazer nada de errado, criaram um sistema que suporta hackers e outros tipos de pessoas mal intencionadas a lavarem dinheiro de uma maneira fácil e rápida. Além disso, o dono do site disse que passou quase 9 meses trabalhando em maneiras de proteger o seu site desse tipo de ação.

A lavagem de dinheiro

Funciona assim: alguém pega esses números de cartões de crédito roubado e compra chaves de jogos que não vai usar. Aí essa mesma pessoa leva essas chaves até um site de revenda, como a G2A ou a Kinguin e transforma esses códigos em dinheiro “legítimo”. Como tudo é feito rapidamente, até que o site inicial perceba que a compra foi ilegal, a chave já está na mão de uma terceira pessoa, que basicamente não teve nada a ver com o furto inicial, mas é quem vai acabar pagando por tudo isso. E esse pode ser você, se optar pela compra em sites assim.

grey markets de games
A G2A realmente cresce rapidamente, mas a que preço?

Se pararmos para analisar, financiar esse tipo de mercado pode fazer com que o preço dos jogos só continue crescendo. Cada vez mais as publishers precisarão criar medidas de segurança e uma delas é bloquear jogos por região. Quando isso acontece, os jogos acabam subindo de preço, já que fica mais difícil trazê-los para o Brasil. Sendo assim, se o preço dos jogos hoje em dia parece um problema para você, a melhor forma de lutar contra isso é aproveitar sites legítimos que oferecem bons preços confiáveis.

Como identificar uma loja suspeita

  1. O teste mais fácil e mais simples é se perguntar: “Isso é bom demais para ser verdade?”. Tenha em mente que as publishers definem preços e promoções limites para todas as lojas e se alguém desconhecido oferece algo mais barato do que isso é um sinal de que algo está errado. É por isso que a maioria das promoções em jogos são feitas ao mesmo tempo em várias lojas.
  2. Nenhum vendedor legítimo vai especificar que você precisa de um VPN funcionando para ativar um produto. Se um código é restrito por região, por que uma loja te daria uma maneira de ultrapassar esse bloqueio? Bem suspeito.
  3. Alguns jogos possuem lista de revendedores oficiais e nos sites você consegue acesso a isso. Por exemplo a Blizzard não permite que nenhum dos seus jogos seja vendido fora de sua própria loja, então sabe aquele Overwatch baratinho que você achou? Temos más notícias.
  4. Muitos revendedores não possuem nem sites completos. Procure por um FAQ, uma política de privacidade ou qualquer outro indicativo do quão sólidos eles são e se surpreenda ao encontrar pouquíssimas informações sobre.
  5. Pesquise há quanto tempo o domínio existe usando sites como DomainTools para descobrir se eles surgiram da noite para o dia muito recentemente. Isso costuma ser um alerta vermelho para vendedores pouco confiáveis.

Conclusão

Ainda não está convencido? Então essa história pode ajudar. Talvez as chaves funcionem, talvez não. A única forma de ter certeza MESMO é comprando em lojas autenticadas, de preferência com suporte.


Por acaso, a gente conhece uma assim.


 

Deixe seu comentário

Recomendados para você